A cisma com o conceito de sustentabilidade

Acabo de ler no site Ideia Sustentável uma ótima entrevista com Domenico di Masi, o filósofo italiano, onde ele extravasa sua cisma com o conceito de sustentabilidade. Vejam só:

Domenico-de-Masi-reprodução

Sustentabilidade é traduzida de modo errado para o português. Desenvolvimento sustentável, literalmente, significa um desenvolvimento duradouro, que possa ser prolongado. Como se pode ter desenvolvimento sustentável numa cidade de 18 milhões de pessoas que poluem? Na avenida Paulista, sobretudo, estão os bancos. Para fazer uma economia criativa e sustentável é necessário que os bancos não roubem! Isso já é economia sustentável. Neste momento, o mundo está numa crise horrível, criada pelos bancos. As grandes instituições financeiras não são vítimas; representam uma carnificina. Há um ditado que diz: “Não se pode curar um dedo se todo o corpo está doente”.

O que podemos fazer, então, é criar um modelo positivo de desenvolvimento sustentável para ser demonstrado, por exemplo, na avenida Paulista, uma avenida-star, símbolo, como é Veneza, na Itália, ou a 5° Avenida de Nova Iorque. Nesse sentido, seria importante se conseguíssemos propor um modelo de desenvolvimento duradouro. Mas, hoje, green economyna Paulista é contrassenso, não funciona. Tem de ser feita na Amazônia! Se esse novo modelo urbano compreender a energia solar, por exemplo, aí sim! Porém, eu não chamaria isso de green economy, ou sustentabilidade, mas de uma economia baseada na produção autônoma de energia.”

Vale a pena ler na íntegra: http://www.ideiasustentavel.com.br/2013/01/replicas-domenico-de-masi/

Sobre ameliagonzalez848

Jornalista especializada em sustentabilidade. Ajudou a criar e editou durante nove anos o caderno Razão Social, suplemento do jornal O Globo, sobre sustentabilidade, que foi extinto em julho de 2012. Assinou a coluna Razão Social do caderno Amanhá, de O Globo. Autora do livro `Porque sim`, sobre casos de sucesso da ONG Junior Achievement. Ganhou o premio Orilaxé, da ONG Afro Reggae. Esteve entre as finalistas como blogueira de sustentabilidade no premio Greenbest com o blog Razão Social, que foi parte do site do jornal O Globo de 2007 a 2012. Foi colunista do site G1 de 2013 a 2020, assinando o blog Nova Ética Social. Estuda os filósofos da diferença, como Fredrick Nietzsche, Gilles Deleuze, Spinoza, Henri Bergson em grupos de estudo no Instituto Anthropos de Psicomotricidade. Crê na multiplicidade, na imanência, na potência do corpo humano e busca, sempre, a saúde. Tem um filho e dois cachorros
Esse post foi publicado em Sustentabilidade. Bookmark o link permanente.

2 respostas para A cisma com o conceito de sustentabilidade

  1. Isabel Capaverde disse:

    Amelia, bom dia! Acabei de ler no Jornalista&Cia sobre tua saída do Globo. Como sempre acompanhei o que escrevias por lá, vim rapidamente espiar o blog. Gostei muito das reflexões e já o coloquei entre os meus favoritos. Como colaboradora da revista Plurale – que completou em 2012 cinco bravos anos falando sobre sustentabilidade – e trabalhando com ONGs, estou sempre de olho em espaços onde não só as notícias sejam reportadas, mas que também nos levem a fazer conexões e a pensar um pouco fora da caixa. Te desejo sorte e sucesso na carreira solo ( estou nessa desde 91…acho que já posso me considerar uma veterana…rs). Farei outras visitas. Abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s